Juízo Final de Michelangelo antes e depois da intervenção
Juízo Final de Michelangelo antes e depois da intervenção.

O restaurador é um artista em seu próprio direito, pois a disciplina da restauração abarca a intervenção direta sobre a obra de arte, e o dever de conhecer, avaliar e atuar as técnicas que contribuem para a preservação da obra.

Na área da pintura, o restauro tem evoluído desde uma primeira perspectiva de tentar recuperar a legibilidade da imagem (acrescentando se fosse necessário partes perdidas da obra), a respeitar a integridade tanto física como estética da obra de arte. As intervenções necessárias para sua conservação são feitas sem que se produza uma transformação radical da obra.

Um dos exemplos mais lindos de um sucesso de restauro de pinturas é o trabalho que foi feito sobre o Juízo Final do Michelangelo na Capela Sistina, aliás uma das mais significativas restaurações de arte do século XX. Os afrescos do teto e altar realizados por Michelangelo sofreram uma série de restaurações, a mais recente entre 1980 e 1994.

Outro exemplo é o restauro da pintura feita por Charles Le Brun em 1660, que retrata Everhard Jabach e sua família. O vídeo seguinte foi realizado para acompanhar os bastidores da restauração, que levou cerca de 10 meses e foi realizada no Metropolitan Museum de Nova York por Michael Gallagher. O trabalho de restauração envolveu a remoção do verniz antigo, retoques na pintura, uma nova camada de verniz e inúmeras outras técnicas de conservação para trazer esta pintura gigante de volta à vida.

Outro caso famoso é aquele da pintura Argenteuil Basin with a Single Sailboat, de Claude Monet. A obra de arte foi restaurada após ter sido esmurrada pelo vândalo Andrew Shannon na National Gallery of Ireland. Restaurar o quadro estimado em US$ 10 milhões exigiu dos profissionais do museu um esforço de 18 meses.

Para entender o processo detalhado de cada passo da restauração, leia este artigo “Museu restaura pintura de Monet destruída com soco”.

Restauraçao de quadro do Monet destruida com soco
Restauradores ao trabalho (Fotos: National Gallery of Ireland)

Mas também tem muitos casos de restaurações que acabaram com resultados questionáveis… ou desastrosos. Talvez você lembre de uma notícia que foi publicada em 2012, quando uma senhora de 80 anos resolveu restaurar por conta própria o quadro Ecce Homo feito por Elías García Martínez. O quadro estava pendurado há 100 anos na Igreja de Nossa Senhora em Zaragoza, na Espanha. E o resultado foi….

Ecce Homo antes e depois do restauro

 

Cursos de restauração de pinturas

Se você quiser estudar a arte da restauração, onde melhor do que na pátria de alguns dos artistas mais famosos do mundo? Studiainitalia, agencia especializada em turismo criativo e viagens culturais, oferece Cursos de restauro de pintura na Italia, em particular em Florença. Tem cursos para principiantes e também cursos profissionalizantes especialmente focados para pessoas que querem dedicar-se a esta profissão ou pessoas que já sendo do setor, querem especializar-se. Para mais informações visite o site de studiainitalia.

 

Aprender Italiano em Florença